sábado, 6 de maio de 2017

Pegadas na Florença Brasileira


 
   O jornalista Cecílio Elias Netto lançou, em 6 de maio de 2017, o livro "Piracicaba - Florença Brasileira", sobre arte e artistas de Piracicaba. Edson Rontani é destaque em várias páginas da obra por sua contribuição à cultura da cidade.





sábado, 31 de dezembro de 2016


Natal de 1954. "O Diário de Piracicaba" publicava este anúncio de Edson Rontani, de autoria da empresa Mercantil Piracicaba. Engraçado é ver que na época a mensagem com conotações religiosas eram usuais. Neste caso "Glória da Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade" foi o mote utilizado. Outro item interessante é notar que as publicidades da época eram desenhos com texto em clichê ou somente desenhados. Este trabalho era um misto de ambos, embora o desenho seja mais relevante do que a mensagem natalina. Desenho, aliás, feito a mão, em nanquim, de forma artesanal. Algo difícil de se ver nos dias atuais em que a informática toma dimensões diferentes dos adotados na época.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Fanzine é tema de entrevista na TV

O ano era 1989. A TV Bandeirantes Regional Campinas realiza entrevista com Edson Rontani, criador do primeiro fanzine brasileiro, o "Ficção", onde ele fala sobre sua coleção de histórias em quadrinhos.


quarta-feira, 11 de maio de 2016

Rontani é citado em obra sobre Angelo Agostini


Edson Rontani é citado na introdução do livro "As Aventuras de Nhô Quim e Zé Caipora", obra editada por Athos Eichler Cardoso, em 2003, e publicada pela Editora do Senado (http://livraria.senado.gov.br/as-aventuras-de-nho-quim-e-ze-caipora.html).
 
O livro reproduz os desenhos de Angelo Agostini, criador da primeira história em quadrinhos do Brasil, destacando principalmente as aventuras do Nhô Quim que, apesar de homônimo, nada tinha a de afinidade com o Nhô Quim criado em 1946 por Edson Rontani para representar o Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba.

Na obra, Rontani é citado por sua dedicação à preservação da história em quadrinhos no Brasil.


sábado, 19 de março de 2016

Mestre do Quadrinho Nacional


   Edson Rontani foi um dos premiados no 17°. Troféu Angelo Agostini, entregue em 2001 pela Associação Quadrinistras e Caricaturistas do Estado de São Paulo. Ele dividiu a premiação de Mestre do Quadrinho Nacional com Ivan Watsh Rodrigues e Roberto Canini (Pancada, Pasquim e Zé Carioca), monstros sagrados do quadrinho nacional. Na ocasião, o desenhista Érico San Juan representou a família de Rontani.

   O Prêmio Angelo Agostini é uma das mais tradicionais premiações de arte seqüencial realizada no Brasil. Criado e organizado pela Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC - ESP), o Prêmio tem como objetivo “o resgate e a referência aos grandes artistas do quadrinho nacional”.

   O nome do prêmio é em homenagem a Angelo Agostini, criador da primeira história em quadrinhos brasileira ("As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte", que começou a ser publicada em 30 de janeiro de 1869).

   Inicialmente, o prêmio visava destacar profissionais que estivessem ligados aos quadrinhos nacionais por, pelo menos, vinte e cinco anos (denominados “Mestres do Quadrinho Nacional”). Depois, ampliou-se a premiação para os melhores trabalhos do ano anterior. Hoje em dia, ainda existe premiação para produção alternativa, através dos fanzines.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Érico San Juan cita Rontani em homenagem na Câmara de Vereadores


O universo das caricaturas, histórias em quadrinhos e desenhos faz parte da vida de Érico San Juan desde a adolescência. Na terra do Salão Internacional de Humor, o artista teve, entre os seus influenciadores diretos, Edson Rontani, criador do lendário personagem Nho Quim e o primeiro brasileiro a lançar um fanzine. Aos 40 anos, celebrados em janeiro, o piracicabano comemora duas décadas e meia de dedicação às artes, ocasião enaltecida pelo vereador Pedro Cruz (PSDB) na moção de aplausos 7/2016.

San Juan esteve na Câmara nesta quinta-feira, 25, quando recebeu a homenagem do parlamentar, durante a 7ª reunião ordinária. O artista falou de seus ídolos no humor gráfico, agradeceu aos familiares e citou amigos que lhe apoiaram ao longo da trajetória, entre eles o também piracicabano Eduardo Grosso, a quem classificou como o mais talentoso e dedicado desenhista da cidade.

Ele disse que há duas décadas teve uma exposição de sua autoria na Câmara. “É uma satisfação ter a minha atuação como artista lembrada pelo vereador Pedro Cruz”, destacou. “Os desenhistas me mostraram que era possível sonhar como cartunista em Piracicaba”, completou.

As comemorações incluem o lançamento da série 25 anos de Humor, em quatro volumes, classificada por caricaturas, quadrinhos, desenhos e textos. San Juan planeja o lançamento para o primeiro semestre deste ano, mas o livro já pode ser adquirido direto com o autor.

Dito, o Bendito é uma das criações mais conhecidas do artista. Tanto é que o personagem passou pelas fases musical, política, etílica, familiar e Sitcom em 759 tiras, publicadas entre 1993 e 2005, com periodicidade às vezes diária, às vezes semanal, publicadas no Jornal de Piracicaba e republicadas em outros jornais de forma esporádica.

Ao justificar a homenagem a San Juan, o vereador Pedro Cruz elogiou a qualidade artística do piracicabano. Ele também citou o perfil de sua atuação parlamentar. “A gente tem se pautado na homenagem a artistas piracicabanos de projeção. Propus essa homenagem a Erico com muito carinho”, declarou o parlamentar. (Fonte: site da Câmara de Vereadores de Piracicaba)